Menu principal
 

Outubro Rosa: prevenção ao câncer de mama

sábado, 5 de outubro de 2019

O mês de outubro é o mês do Movimento internacional de conscientização para o controle do câncer de mama. Criado na década de 1990 pela fundação Susan G. Komen for the Cure, o Outubro Rosa tem por principal objetivo alertar a sociedade sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce da doença. 

Ainda bastante presente, o câncer de mama é um tumor maligno, formado pelo crescimento de células de maneira desordenada e desenvolvimento de um ou mais nódulos na mama. Apesar da doença afetar principalmente as mulheres, estima-se que para cada 100 mulheres com câncer de mama, um homem terá a doença.

Entre as mulheres brasileiras, este é o tipo de câncer mais comum. Segundo a Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM), a estimativa é de que a doença seja responsável por 13 mil mortes e 60 mil novos casos a cada ano. 

Pesquisas mostram que mulheres entre 40 e 69 anos são as principais vítimas, isso pela alta quantidade do hormônio estrógeno presente no corpo; algo comum da idade. A partir dos 50 anos, particularmente, os riscos aumentam significativamente. 

Todavia, a faixa etária não é a única causadora da doença: Menstruação precoce, menopausa tardia, reposição hormonal, colesterol alto e ausência de gravidez (não amamentar aumenta o risco de contração da doença) também são fatores que contribuem para o desenvolvimento do câncer de mama.

No dia 16 de outubro, a Rede Feminina de Combate ao Câncer de Joinville estará no IFC Campus Araquari, para conduzir uma palestra a respeito da campanha do Outubro Rosa.

A palestra ocorrerá no auditório institucional, às 09 horas, com a temática: Prevenção do câncer de mama e colo do útero. A palestra será dirigida especialmente aos servidores e terceirizados do campus (homens e mulheres).

Acesse a página da Rede Feminina de Combate ao Câncer de Joinville: http://bit.ly/cancerdemamajoinville

Além da palestra, será realizada uma ação em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde durante a Fafarta (Feira de agricultura familiar e artesanato), no dia 08 de outubro. Todos podem participar para ter mais informações a respeito do tema.

Sintomas, Prevenção e Diagnóstico

Como a manifestação deste tipo de câncer ocorre em diferentes formas, fique atenta aos principais sintomas: 

  • Inchaço em parte do seio;
  • Irritação da pele ou aparecimento de irregularidades, como covinhas ou franzidos, ou que fazem a pele se assemelhar à casca de uma laranja;
  • dor no mamilo ou inversão do mamilo (para dentro);
  • Vermelhidão ou descamação do mamilo ou pele de mama;
  • Saída de secreção (que não leite) pelo mamilo;
  • Caroço nas axilas.

É fundamental que pessoas de diferentes faixas etárias realizem o autoexame; quanto mais cedo a doença for descoberta, mais fácil e eficaz poderá ser o tratamento. 

Para realizar o autoexame, siga os seguintes passos:

Em frente ao espelho

  1. Observe os dois seios, primeiramente com os braços caídos;
  2. Coloque as mãos na cintura fazendo força;
  3. Coloque-as atrás da cabeça e observe o tamanho, posição e forma do mamilo;
  4. Pressione levemente o mamilo e veja se há saída de secreção;

Em pé (pode ser durante o banho)

  1. Levante seu braço esquerdo e apoie-o sobre a cabeça;
  2. Com a mão direita esticada, examine a mama esquerda;
  3. Divida os seios em faixas e analise devagar cada uma dessas faixas. Use a polpa dos dedos e não as pontas ou unhas;
  4. Sinta a mama;
  5. Faça movimentos circulares, de cima para baixo;
  6. Repita os movimentos na outra mama.

Deitada

  1. Coloque uma toalha dobrada sobre o ombro direito para examinar a mama direita;
  2. Sinta a mamacom movimentos circulares, fazendo uma leve pressão;
  3. Apalpe a metade externa da mama (é mais consistente);
  4. Depois apalpe as axilas;
  5. Inverta o procedimento para a mama esquerda

Caso sinta algum nódulo ou mudança na textura ou tamanho, procure um médico ginecologista, ele realizará o exame clínico de mama e poderá solicitar a mamografia. 

Ainda que o autoexame seja fundamental para a detecção precoce da doença, procure sempre um médico especialista que possa oferecer um diagnóstico confiável. 

Texto: CECOM/Araquari

Imprimir Imprimir