Menu principal
 

NÚMERO 1 NA AMÉRICA LATINA! Prêmio é conquistado por estudante do IFC Araquari

domingo, 21 de fevereiro de 2016

DSC_0404 (2)Pesquisa sobre a utilização de probióticos para peixes, realizada no Instituto Federal Catarinense Campus Araquari, conquistou o primeiro lugar do prêmio Alltech Young Scientist Competition, da América Latina.

O trabalho premiado, intitulado Selection of authochtone acid lactic bacteria as probiotic for lambariculture, foi desenvolvido pela estudante de Medicina Veterinária Andressa Vieira de Moraes e executado pelo Grupo de Pesquisa em Aquicultura (atividade destinada a produção de animais e vegetais aquáticos, com destaque para os peixes, camarões, ostras e mexilhões).

Este projeto foi orientado pelo professor Adolfo Jatobá, responsável pelo Laboratório de Aquicultura do Campus Araquari. O trabalho foi 100% desenvolvido no IFC Araquari, passou por várias etapas e continuará a ser trabalhado dentro do grupo de pesquisa que atua nas áreas de reprodução, manejo e nutrição, com ênfase no desenvolvimento e uso de aditivos alimentares como os probióticos e fitoterápicos para piscicultura. Segundo Jatobá, para realização deste trabalho, foi fundamental o apoio dos órgãos de fomento CNPq e FAPESC; parceiros acadêmicos como Laboratório de Camarões Marinhos da Universidade Federal de Santa Catarina e Fundação 25 de Julho; além da participação da iniciativa privada, representada pela GUABI, GIRAQUA AQUACULTURA e JSBombas.


A PREMIAÇÃO

 

O Alltech Young Scientist reúne os mais brilhantes pensadores científicos provenientes de faculdades e universidades do mundo todo. O programa oferece aos estudantes a oportunidade de serem premiados por suas pesquisas científicas e concorrerem internacionalmente no mais alto nível acadêmico. Dessa forma, Andressa, já premiada na primeira etapa, participará entre 22 e 25 de maio, da competição global, que será realizada na matriz em Lexington, estado de Kentucky (EUA), durante o 32º Simpósio Anual da Alltech.

A Alltech possui uma interação muito grande com universidades, incentivando jovens cientistas a aplicarem altas tecnologias em suas pesquisas. Como premiação da etapa mundial, os seis estudantes de graduação vencedores das etapas regionais concorrem a uma bolsa integral de Ph.D. nas universidades parceiras da empresa pela mundo.

Para alcançar este patamar e chegar à premiação, Andressa ressalta que o trabalho não foi fácil, mas o esforço foi recompensado através desta pesquisa na qual sempre tiveram confiança, mas principalmente responsabilidade e comprometimento para desenvolvê-la. Outro ponto importante foi o trabalho em equipe, enaltecido pela estudante premiada, pois todos os integrantes do grupo trabalham nos projetos que estão acontecendo. Hoje, trabalham como bolsistas no Laboratório de Aquicultura seis estudantes da graduação e 12 alunos do curso técnico, além de outros estudantes que são voluntários.

Para o desenvolvimento de pesquisas deste nível o IFC promove a verticalização da educação, oferecendo desde o Ensino Médio Técnico, passando por cursos técnicos e superiores e chegando, recentemente, a pós-graduações de nível strictu sensu. Conta ainda com professores altamente capacitados e proativos para captação de recursos que financiem suas pesquisas. Como explica o professor Jatobá, criar um ambiente propício para a pesquisa requer recursos, paciência e dedicação dos pesquisadores, mas os resultados são visíveis e gratificantes.

Texto e imagens: CECOM/Araquari

Imprimir Imprimir