Menu principal
 

Família IFC – Diferentes gerações constroem a história do campus

sexta-feira, 20 de dezembro de 2019

Com mais de 60 anos de história e tradição, o IFC Araquari marcou diferentes gerações, construindo memórias que permanecem vivas até os dias de hoje. Além dos laços de amizade e companheirismo presentes no campus, familiares também desfrutam do mesmo ambiente de estudo e trabalho no seu dia a dia. 

Breilla, Manuir, Simone e Tatiane compõem uma família que, após passar por diversas regiões, escolheu fazer do IFC Araquari o seu ponto de encontro final para criar raízes mais profundas. 

Simone Mai é o ponto de referência para a família – esposa de Manuir, mãe de Breilla e irmã de Tatiane – ela foi a primeira a chegar no campus Araquari. No dia 9 de julho de 2018, Simone  passou a morar em Joinville (SC) e trabalhar na secretaria de pós-graduação do campus, com intenção de juntar-se à família novamente. Desde o início demonstrou grande apreço pelo campus, “Gosto da diversidade daqui e gosto dele ser um ambiente rural, uma fazenda”, diz Simone. 

Além do ambiente e local do campus, outras características chamam a atenção da servidora, por exemplo, quando questionada sobre seu entendimento com relação à educação de qualidade, a servidora afirmou: “Educação de qualidade é aquela que enxerga o ser humano em todos os seus aspectos, que o prepara não só para a vida profissional como também para a formação cidadã, auxiliando o indivíduo a passar por diferentes experiências ao longo da vida. Educação de qualidade respeita as diferenças, abrindo espaço, voz e vez a elas”.

Simone também comentou sobre sua admiração com os eventos que acontecem no campus. “Sempre tem algo acontecendo”, diz referindo-se à movimentação dos projetos. “De um lado do campus vejo alguém construir um foguete; já em outro, como no laboratório do olhar, por exemplo, posso ver o alunos desenvolverem suas habilidades artísticas.”

Mesmo seu tempo de trabalho sendo relativamente curto dentro do campus, Simone compartilha de boas experiências no campus, principalmente no que diz respeito à Semana de Ensino Pesquisa e Extensão – SEPE. “É um dos eventos que mais me encanta”, a servidora conta, “Ver tanta gente empenhada é algo fascinante, tanto com relação à organização como também com os trabalhos apresentados pelos alunos”. 

Breilla Koch, filha de Simone e Manuir, foi a segunda a ingressar no IFC Araquari. Por ter cursado o ensino médio no IFSC (Campus Gaspar) e ter noção da qualidade do ensino da rede, Breilla optou pelo ensino superior em  Agronomia – curso de seu interesse e que o campus Araquari oferece. “Vejo que aqui os alunos procuram se envolver intensamente em tudo o que podem, aproveitando os eventos e as oportunidades de pesquisa; o que representa um diferencial em sua formação”, afirma. 

Outro aspecto positivo que Breilla ressalta é a educação de qualidade, presente no IFC. “Além dos ensinamentos em sala de aula, é importante que o ambiente contemple ações internas que promovam as interações entre as diferentes tribos que são acolhidas e entendidas nas suas peculiaridades.” Assim como Simone, Breilla acredita que o incentivo ao plural é o que torna o IFC tão singular. 

Sobre suas experiências no campus, a participação no Laboratório de Aquicultura ganha destaque. “Fui carinhosamente acolhida por uma equipe que agregou experiências únicas para mim, de um universo até então, desconhecido”, conta Breilla. A estudante, também, teve a oportunidade de participar da fundação de uma Empresa Júnior, que segundo ela,  “agregará experiências, como liderança e contato com o mercado de trabalho, antes mesmo do fim da minha formação”. 

Visto que Breilla e Simone já estavam próximas, Manuir Schons iniciou seus esforços para estar próximo à família.  Ele foi o primeiro a ingressar no IFC, ainda no ano de 2010, para trabalhar na Reitoria do IFC; em março de 2019,  Manuir conseguiu uma transferência e juntou-se à família no IFC Araquari. No campus ele atua na Direção de Desenvolvimento Educacional (DDE).

Ao comentar sobre o que lhe encanta no IFC Araquari, Manuir mostrou-se pensativo. “Gosto de tantas coisas… Gosto da estrutura do local e da diversidade que o compõe; tanto diversidade humana como a diversidade da natureza”. Em seguida, continuou: “O que difere este campus dos outros lugares em que trabalhei são as possibilidades e condições de convivência encontradas, bem como a sensação de pertencimento que o IFC oferta, principalmente aos alunos, pois penso que eles se sentem bem estando aqui”. 

Para Manuir, educação de qualidade é um educação com condições emancipatórias através de uma estrutura que desenvolva todas as potencialidades dos educandos. Ele também diz que gosta de presenciar o desenvolvimento da educação dentro do campus. “Por meio disso, eu percebi como a educação faz diferença e pode mudar a vida de jovens e adultos”. 

Tatiane Mai, em junho de 2019, também passou a trabalhar no IFC Araquari com o intuito de acompanhar a família, pois demonstrou interesse no histórico do campus. Tatiane conta que gosta da relação entre os servidores, nota bastante companheirismo entre eles. “Eu me sinto em casa, as pessoas são receptivas e, acima de tudo, eu amo meu trabalho.”         

Educação de qualidade, ao seu ver, é a qualificação de professores, estruturas e os conhecimentos teóricos e práticos que a instituição oferece. A pesquisa, ensino, extensão e o desenvolvimento da cidadania, caráter e pensamento crítico também são componentes fundamentais que agregam ao conceito.

Conhecer os ex-alunos da instituição foi uma experiência que a deixou bastante contente; “o potencial e o impacto positivo que os IFC lhes causou era bastante notável”. Além do mais, a servidora conta que o campus se difere dos outros lugares em que trabalhou, já que a valorização do servidor técnico administrativo é mais presente. 

Foram 5 anos em fila de espera para conseguir redistribuição, dessa forma, Tatiane jamais pensou que trabalharia com a família. “Foi o destino”, diz.

O quarteto demonstra satisfação em dividir o mesmo ambiente profissional. Eles formam mais uma família que faz parte da história e constrói a tradição deste campus, desde os tempos do antigo Colégio Agrícola de Araquari. 

Ao longo dos anos, avós, pais e filhos formaram-se na instituição e, mais tarde, passaram a trabalhar no local. O IFC Araquari, além de oportunizar a preparação para o meio profissional, também construiu laços e faz parte da história de diversas famílias.

Texto: CECOM/Araquari – Laís Tedesco

Revisão: Raquel Rybandt

Imprimir Imprimir